ATIVIDADE PARA A TURMA DO 6º SEMESTRE: CRÔNICA

1. Crônica é um gênero literário produzido para ser veiculado na imprensa, seja nas páginas de uma revista, seja nas páginas de um jornal. Quer dizer, ela é feita com uma finalidade utilitária e pré-determinada: agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim, no transcurso dos dias ou das semanas, uma familiaridade entre o escritor e aqueles que o lêem. Características: A crônica é, primordialmente, um texto escrito para ser publicado no jornal. Assim o fato de ser publicada no jornal já lhe determina vida curta, pois à crônica de hoje seguem-se muitas outras nas próximas edições. Há semelhanças entre a crônica e o texto exclusivamente informativo. Assim como o repórter, o cronista se inspira nos acontecimentos diários, que constituem a base da crônica. Entretanto, há elementos que distinguem um texto do outro. Após cercar-se desses acontecimentos diários, o cronista dá-lhes um toque próprio, incluindo em seu texto elementos como ficção, fantasia e criticismo, elementos que o texto essencialmente informativo não contém. Com base nisso, pode-se dizer que a crônica situa-se entre o Jornalismo e a Literatura, e o cronista pode ser considerado o poeta dos acontecimentos do dia-a-dia. A crônica, na maioria dos casos, é um texto curto e narrado em primeira pessoa, ou seja, o próprio escritor está “dialogando” com o leitor. Isso faz com que a crônica apresente uma visão totalmente pessoal de um determinado assunto: a visão do cronista. Ao desenvolver seu estilo e ao selecionar as palavras que utiliza em seu texto, o cronista está transmitindo ao leitor a sua visão de mundo. Ele está, na verdade, expondo a sua forma pessoal de compreender os acontecimentos que o cercam. Geralmente, as crônicas apresentam linguagem simples, espontânea, situada entre a linguagem oral e a literária. Isso contribui também para que o leitor se identifique com o cronista, que acaba se tornando o porta-voz daquele que lê. Extraído: http://pt.wikipedia.org/wiki/Crônica 

EXEMPLO DE UMA CRÔNICA:
UMA CRÔNICA É UMA CRÔNICA E FIM!

 

 

Jorge Miguel Marinho

O que é uma crônica?
É uma breve narrativa.
E o que é uma breve narrativa?
É uma pequena história, às vezes um simples acontecimento que acontece num tempo e num lugar determinados.
Sempre?
É claro que não, na literatura nada é sempre.
Como assim?
A literatura é antes de tudo tentativa, experimentação, ensaio e erro e às vezes acerto, mas sempre descoberta.
Entendeu?
Ahhh…, acho que sim…

Está bem, vamos ver isso melhor. Mas nada em definitivo, na literatura não há modelos nem regras rígidas, o que conta mesmo é jogar com as palavras e ir buscando a lógica da criação.

Eu podia dizer que uma crônica é uma crônica e fim. Mas não, vou dar umas dicas e a crônica mesmo vai ser a sua tentativa de descobrir qual é a crônica que existe dentro e fora de você. Preste atenção:

a) A crônica é uma forma de narrativa descontraída, lembrando bastante a linguagem dos jornais, e em geral conta ou narra situações do dia-a-dia, fatos corriqueiros e até mesmo banais – o que não quer dizer que não esteja interessada nos temas relativos à condição humana: amor, morte, solidão, sonho, incomunicação, descoberta e busca do sentido da vida e outras revelações. Basta ler qualquer crônica do Rubem Braga para perceber como essas pequenas histórias acabam se tornando literatura da melhor.

b) A crônica, quase sempre, vem escrita em linguagem coloquial bem próxima da conversa informal e, com esse tom de coisa sem importância, se casa muito bem com a poesia e o humor.

c) Normalmente os cronistas são ou foram jornalistas, como Fernando Sabino, Luís Fernando Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade e tantos outros. Eles são repórteres e espectadores da vida dos outros e é por isso que a crônica sempre tem uma preocupação com a vida coletiva – o que não impede de você criar narrativas bem subjetivas que revelam situações muito íntimas, como Clarice Lispector tão bem escreveu.

d) Se eu fosse você, começava lendo os bons cronistas como os já citados e mais Paulo Mendes Campos, Marcos Rey, Stanislaw Ponte Preta e outros que você vai descobrir. A coleção “Para gostar de ler”, da Editora Ática, é ótima – o volume 5 – “Crônicas” tem uma excelente introdução escrita pelo professor Antonio Candido, que é imperdível.

Extraído de http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=oficina_de_criacao.ds_apoio&id_comunidade=0